TOP
Relacionamento

“MINHA HISTÓRIA DE AMOR – um depoimento de vida de Vania B!”

19-minha-historia-de-amor-titulo

Na última terça-feira, 08.11, publicamos um texto sobre relacionamentos após os 50 anos (leia-o aqui http://vaniab.com/2016/11/08/relacionamentos-apos-os-50-anos/).

 

Não gosto muito de expor minha vida pessoal, mas resolvi contar minha história.

 

Toda história de amor merece ser contada!

Toda história de amor merece ser contada!

 

Em 1986, então com 31 anos, tendo vivido sempre numa cidade do interior e trabalhado para uma multinacional americana, mudei-me para São Paulo.

 

Na busca de um trabalho, deparei-me com três opções: duas multinacionais americanas e uma empresa pequena, familiar, brasileira.

 

Histórias de amor fazem bem à nossa alma!

Histórias de amor fazem bem à nossa alma!

 

Resolvi arriscar e comecei a trabalhar na última, cujo proprietário era um senhor simpático, hiperativo, engraçado, inteligente.

 

De repente, senti que estava sendo “cortejada” pelo senhor, e resolvi mudar de trabalho. Pedi demissão e fui para um banco inglês.

 

No trabalho, percebi que estava sendo cortejada pelo futuro amor da minha vida.

No trabalho, percebi que estava sendo cortejada pelo futuro amor da minha vida.

 

Não acreditava em destino, mas tive que começar a acreditar: num almoço com amigas, encontrei meu ex-patrão.

 

Depois de recusar vários convites para jantar, resolvi aceitar com o firme propósito de dizer que não queria nada com ele.  Grande engano: nunca me diverti tanto! Ele era inteligente, espirituoso, charmoso, e o homem mais cativante (e cheiroso) que eu já tinha conhecido.

 

De repente, percebi que a vida nos traz coisas boas quando menos esperamos.

De repente, percebi que a vida nos traz coisas boas quando menos esperamos.

 

Passamos a sair às vezes, mas o preconceito estava arraigado em mim. Tinha medo de apresentá-lo aos meus pais (que continuavam – e continuam – no interior).  Ele era um ano mais novo que meu pai e seis anos mais velho que minha mãe.

 

Como somos idiotas. No momento em que meus pais e minha família o conheceram (ele chegou em casa sem avisar), iniciou-se uma relacionamento delicioso.

 

Em pouco tempo de convivência, iniciou-se um relacionamento maravilhoso!

Em pouco tempo de convivência, iniciou-se um relacionamento maravilhoso!

 

Casamos seis meses depois. Após sete anos, nasceu meu filho. Ele faleceu quando meu filho tinha quatro anos.

 

Tivemos um casamento felicíssimo, do qual não existe um momento em que tenha me arrependido, do qual não existe um momento de mágoa, raiva ou dor.

 

Após sete anos de casados, nasceu meu filho. (Foto real)

Após sete anos de casados, nasceu meu filho. (Foto real)

 

Quando vejo pessoas criticando casais que não se enquadram no padrão “normal”, sinto pena.
Não dos casais, mas dos críticos.

 

Pessoas felizes não julgam, não criticam, não têm tempo pra isso. Quem é feliz, se dedica a viver e compartilhar essa felicidade.

 

Com ele, aprendi a ter sempre entusiasmo pela vida, a acreditar que tudo sempre vale a pena!

Com ele, aprendi a ter entusiasmo pela vida, a acreditar que tudo sempre vale a pena! (Foto real)

 

Aprendi muito com ele. Aprendi a ter sempre entusiasmo pela vida, a acreditar que tudo sempre vale a pena, que o que as pessoas pensam não é problema meu. E que sonhar é maravilhoso, mas acordar e fazer tudo para realizar o sonho é o grande segredo da vida!

Comente com o Facebook

Tags:    

«
»