TOP
Bem-estar

“Azeite de Oliva – amigo da boa saúde!”

3 - 18. Alimentação - Azeite de Oliva – amigo da boa saúde

Você é um dos aficionados do azeite de oliva em suas refeições? Saiba que não é o único.

Milhões de pessoas, no mundo todo, aderiram ao uso e têm sentido bons resultados para a saúde.

Veja agora sobre como as diversas qualidades de azeite de oliva são produzidas

e as características que tornam única cada variedade.

 

  • Extravirgem: A melhor qualidade de azeite de oliva. É extraído de azeitonas de excelente

qualidade, sem o uso de solventes. Muitas vezes, é chamado de “prensado a frio”,

por ser extraído à temperatura ambiente. Tem baixíssima quantidade de ácido oléico

em estado livre, que é gorduroso e pode estragar o sabor do azeite de oliva.

O azeite de oliva extravirgem oferece a mais ampla gama de sabores e aromas.

 

  • Virgem: Obtido da mesma maneira que o azeite de oliva extravirgem,

mas tem nível mais elevado de ácido oléico em estado livre.

 

  • Azeite de oliva: Parte do azeite “prensado a frio”. Não é dos melhores para o consumo

devido ao teor de ácido ou a ter sabor, cor ou aroma indesejável. Os fabricantes refinam esse

tipo de azeite com solventes. Depois, os solventes são removidos através de temperatura

elevada. Isso torna o azeite quase sem cor e sabor. Ele é então misturado com azeite virgem

de alta qualidade. Antigamente, era vendido como “azeite de oliva puro”, mas esse termo

caiu em desuso desde 1991. Agora, é chamado simplesmente de “azeite de oliva”.

 

  • Azeite de oliva da polpa: A polpa é o resíduo que resta depois de as operações

mecânicas e físicas removerem o azeite e a água das azeitonas. Pode-se extrair da

polpa ainda mais azeite com o uso de solventes. Esse azeite é então refinado e

misturado com o azeite de oliva virgem, de alta qualidade.

 

  • Azeite de oliva leve: Esta não é uma qualidade de azeite de oliva. É apenas

azeite de oliva refinado, misturado com quantidades menores de azeite de oliva virgem.

O termo “leve” nada tem que ver com o teor de gordura, visto que todo azeite de oliva

é 100%  gordura. Em vez disso, se refere à menor intensidade de cor, aroma e sabor.

 

Sabia que . . . ?

Azeitonas frescas contêm oleuropeína, substância amarga que as torna desagradáveis

ao paladar até que sejam tratadas de alguma maneira. A revista Natural History explica que,

antes de serem comidas, as azeitonas “podem ser acondicionadas em sal; podem ser curadas

em salmoura; podem ser mergulhadas durante muitos dias em várias águas; podem até ser

simplesmente expostas ao sol”. No entanto, nenhum desses tratamentos é necessário

se as azeitonas se destinam à prensagem para extração de azeite.

 

Nem todo azeite de oliva tem o mesmo sabor. Há uma grande variedade de sabores,

cores e aromas naturais. Segundo o Conselho Internacional do Azeite de Oliva,

“os conhecedores geralmente classificam o sabor do azeite de oliva como brando

(delicado, leve ou ‘amanteigado’); semi-frutado (mais forte, com mais sabor de azeitona);

e frutado (azeite com acentuado sabor de azeitona)”.

Quando o azeite de oliva é refrigerado, torna-se anuviado e espesso.

Não é sinal de estar estragado; na temperatura ambiente, ele logo clareia outra vez.

Na verdade, o azeite de oliva pode ser conservado durante meses sem refrigeração.

 

Sabendo um pouco mais sobre os diversos tipos de azeite de oliva e sobre seus benefícios

para uma vida saudável, você terá uma ótima opção a incluir em suas próximas refeições.

Comente com o Facebook

Tags:   

»